SINSERPO recebe Jornada de Trabalho “A CUT que queremos”

Sem categoria

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais e Autárquicos de Ourinhos e Região recebeu na tarde de quarta-feira, 14, a Jornada de Trabalho “A CUT que queremos”. O encontro promovido pela secretaria de Organização Sindical da CUT-SP em parceria com a Secretaria de Administração e Finanças da CUT Brasil, reuniu lideranças sindicais de Ourinhos e Santa Cruz do Rio Pardo.

No encontro,dirigentes sindicais discutiram o fortalecimento da luta em defesa dos direitos, assim como novas formas de financiamento das estruturas do movimento e a busca de um novo modelo de organização, que contemple, por exemplo, trabalhadores desempregados e que atuam de maneira mais autônoma. 

Essa jornada é também uma das ações preparatórias da CUT para o Congresso Nacional da entidade, que ocorre em outubro, e para o Congresso Estadual da CUT-SP, previsto para novembro. Dessa forma, a CUT reafirma o compromisso de apontar resoluções construídas pela base, estando em sintonia com as demandas dos sindicatos nos locais de trabalho.

O secretário de Administração e Finanças da CUT Nacional, Quintero Severo destacou a Central quer debater com os trabalhadores e lideranças sindicais filiados propostas para saber como o movimento sindical irá enfrentar os novos desafios colocados a partir da Reforma Trabalhista de 2017, da Previdência, da Reforma Sindical que está sendo discutida em Brasília e principalmente sobre as transformações do trabalho, a chamada quarta revolução industrial. “O movimento sindical brasileiro tem esse desafio e nosso congresso vai focar em qual o modelo de sindicato, enquanto ferramenta, será o ideal para enfrentarmos esses desafios”.

João Cayres, secretário geral da CUT-SP, destacou que os debates que estão sendo realizados nas sub-sedes são importantes para que os sindicatos se preparem para as mudanças que estão por vir e, acredita que, diante das propostas que estão sendo apresentadas e debatidas, o movimento sairá mais fortalecido e combativo desse ciclo. 

Para o assessor da sub-sede da CUT de Ourinhos, Claudio Izidio, é importante os sindicatos discutirem nesse momento como enfrentar os ataques propostos pelo atual governo contra as classes trabalhadora e sindical. “O nosso intuito é buscarmos alternativas para que continuemos defendendo o interesse da classe tanto dos empregados como dos desempregados. Hoje temos que nos reinventar para saber como vamos representar quem está na informalidade, porque o desemprego de certa forma é crescente e temos que achar uma alternativa de representar o trabalhador como um todo”.

O presidente do SINSERPO, Edinilson Ribeiro, o Biguá, ressaltou que participar de tipo de debate proposto pela CUT é fundamental para que cada sindicado reflita sobre o que está ocorrendo em sua base e se prepare para um novo modelo sindical. “O debate reflete sobre a necessidade de o movimento sindical buscar um novo modelo para atender as profundas transformações que vem ocorrendo no mercado de trabalho”.